• ibrthe

O Firme Fundamento

Por Ivonaldo Lopes

Existe um ditado em nosso país que diz: “fé é algo que não se discute”. Em outras palavras, cada qual tem a sua e não se toca nesse assunto. A dificuldade de se falar sobre fé acontece porque cada pessoa tem seu próprio conceito e maneira de enxergar a fé. Mas discutir o assunto fé se torna relevante por conta que, a fé é o que definirá o destino final de todos os homens. A Bíblia traz a sua própria definição de fé, e para o cristão essa deve ser a única e verdadeira.

Vamos estudar hoje o conceito de Fé, e por que o conceito bíblico de fé é o único que pode de fato resolver o problema do homem.

“Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos”(Hebreus 11:1). Uma outra tradução vai dizer que a fé é o firme fundamento, ou seja, a fé é um fundamento, no qual as pessoas estão firmadas. No grego a palavra fé (pistis) significa crer e confiar. Esse fundamento se baseia naquilo que eu acredito, sistema de crenças. Porém, não é simplesmente crer e confiar em qualquer coisa. Mood vai dizer: “A fé é a confiança naquilo que não se vê. Não é confiança no que se desconhece”, não é acreditar em algo que não é real, que não existe, nem também é a ideia de acreditar em tudo (a verdadeira fé vai exigir um conhecimento). Como diz o autor de Hebreus: “Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente”(11:3).

O autor de Hebreus define a fé utilizando duas palavras chaves: certeza ou convicção – Não é simplesmente crer, é ter a certeza no que acredita. A outra palavra é prova, a prova das coisas que não vemos. Como se pode provar algo que não é visível? A prova da fé é quando eu acredito e confio, antes mesmo de enxergar alguma coisa. “Então Jesus lhe disse: ‘Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram’” (João 20:29).

No que a fé bíblica se torna diferente das demais? Para responder essa pergunta precisamos analisar os tipos de fé existentes:


1°) A fé natural (inata ao homem):

Todos nós já nascemos com esse tipo de fé.

Ex: O viajante acredita que o avião o levará ao seu destino, o trabalhador acredita que vai receber o salário no final do mês, você acredita que aquele alimento vai te fazer bem.

2°) A fé intelectual:

Baseada apenas no conhecimento. “...E como crerão naquele de quem não ouviram falar...” (Romanos 10:14). O conhecimento é muito importante para o desenvolvimento da fé, porém só o conhecimento não é suficiente.

Todos os pecadores tem o conhecimento de que existe um Deus, como diz o Salmo 19: Os Céus declaram a glória de Deus, e o firmamento anunciam as obras de suas mãos. Os demônios tem o conhecimento de Deus. “Você crê que existe um só Deus? Muito bem! Até mesmo os demônios crêem — e tremem!” (Tiago 2:19).

3° A fé histórica:

É uma fé que diferentemente de apenas conhecer, ela concorda com os fatos relacionados a Deus. Nicodemos parecia concordar com fatos sobre a identidade e missão de Jesus, porém, isso não lhe garantia a entrada no reino dos Céus. Desconhecia o caminho para o céu. A fé histórica resulta da tradição ou educação religiosa.

4° A fé miraculosa:

Uma fé baseada nos sinais e milagres que Deus pode realizar, baseia-se apenas naquilo que Jesus pode oferecer.

Um exemplo de que esse tipo de fé pode se tornar inoperante e insuficiente foi o episódio envolvendo o milagre da multiplicação dos pães e peixes: “Depois de ver o sinal miraculoso que Jesus tinha realizado, o povo começou a dizer: “Sem dúvida este é o Profeta que devia vir ao mundo”. (João 6:14). Logo depois Jesus identificou a real motivação deles. Jesus respondeu: “A verdade é que vocês estão me procurando, não porque viram os sinais miraculosos, mas porque comeram os pães e ficaram satisfeitos (João 6:26)

5° A fé temporal:

Se baseia na vida emocional e na busca pela satisfação pessoal. Ex: parábola do semeador. Quanto ao que foi semeado em terreno pedregoso, este é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria. Todavia, visto que não tem raiz em si mesmo, permanece por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandona (Mateus 13:20,21). Essa é a fé que não produz raiz.

6° A fé salvadora:

Essa é a fé verdadeira, é a única que pode solucionar o problema da humanidade. A fé salvadora não é mística, imaginária, psicológica ou relativa; porém, real e pessoal, e atinge integralmente o âmago do ser.

A fé salvadora não pode ser gerada do homem. “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus”(Efésios 2:8). O acesso a essa fé só é possível àqueles que recebem a Jesus: “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome” (João 1:12).

O autor aos Hebreus fala sobre essa fé, e mostra suas características.: “Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam” (Hebreus 11:6). A fé que se baseia em um relacionamento com Deus. Eu posso acreditar em algo baseado no conhecimento, pelas influencias históricas, pela evidência de milagres ou por um sentimento passageiro, porém se não houver envolvimento pessoal com Deus, sua fé não fará nenhum sentido.


Perguntas para refletir:


1 - Por que a fé se torna nosso firme fundamento?

2 - Por que sem a fé ninguém pode agradar a Deus?

3 - Como identificar a fé salvadora?

4 - Qual o tipo de fé você consegue identificar em sua vida?


Fazer Download em PDF:

GUIA-001-O-FIRME-FUNDAMENTO
.pdf
Download PDF • 215KB

26 visualizações

© 2020 por IBRTHE

  • Preto Ícone Instagram
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Twitter
  • Spotify - Black Circle
  • Preto Ícone Deezer

Todos os direitos reservados.