• ibrthe

Nascidos do Espírito

Por Erivan Pedro

O Credo Niceno, que nada mais é do que uma profissão de fé aceita não só pela Igreja Católica mas também por várias denominações protestantes históricas diz: “Cremos no Espírito Santo, Senhor e Fonte(Doador) de vida, que procede do Pai; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele falou pelos profetas.”

Algumas seitas não concordam com essas declarações sobre o Espírito Santo. Algumas acreditam ser o Espírito Santo apenas uma força, um poder que emana de Deus, como um vento, ou sopro. Mas já aprendemos que ele é um SER PESSOAL e relacional. Alguém pode se proteger de uma força ou de um vento, mas só uma pessoa pode ser entristecida e homenageada. O Espírito é mencionado por Jesus e pelos apóstolos como o autor da Escritura, como a própria Palavra de Deus.

Em nosso texto base: João 3:1-8, podemos ver a partir da conversa entre Jesus e o fariseu Nicodemos que o Espírito Santo é capaz de criar e recriar, de soprar fôlego de vida e refazer sua obra prima.

Nicodemos era fariseu, o que significa que vivia dentro das normas religiosas mais rígidas possíveis. Era um homem de altíssimo caráter moral e de profundo anseio espiritual, mas que sofria de grande cegueira espiritual. Nicodemos mora em uma terra de bons resultados, tem gestos sinceros e trabalho árduo. Acreditava que devia dar o melhor pra Deus, conforme sua filosofia, e Deus faria o resto.

Ele procura Jesus para conversar e esclarecer suas dúvidas acerca das obras miraculosas que Cristo fazia, só que Jesus não faz menção à posição importante, às boas intenções ou às credenciais acadêmicas de Nicodemos, pois não julgava isso tão. Ele simplesmente faz esta declaração: “Se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus”.

Nicodemos ficou confuso com essa declaração de Jesus e a cegueira espiritual de Nicodemos ainda é vista hoje em dia. A situação não é diferente. Jesus falava da necessidade de um nascimento espiritual e o mestre da Lei só conseguia ver o nascimento físico. Quando falamos às pessoas da necessidade de nascer de novo, é comum começarem a falar sobre a tradição religiosa de sua família, sobre a igreja onde são membros, sobre aspectos cerimoniais, e assim por diante.

Nascer de novo, nascer do Espírito é nascer do alto, nascer do céu, nascer de Deus. Só o Espírito Santo que estava presente e atuando no nascimento físico do homem, pode nos fazer nascer espiritualmente. O novo nascimento implica um futuro, uma viva esperança. Quando nascemos de novo na família de Deus, nossos pecados são perdoados e esquecidos, e temos diante de nós um futuro promissor com uma nova esperança.

A VIDA DOS NASCIDOS DO ESPÍRITO

O novo nascimento implica mudança radical na existência. Os nascidos do Espírito passam por uma renovação na mente, na maneira de pensar e de ver o mundo. Isso é um mistério, não sabemos explicar ao certo como acontece, mas tudo passa a ser diferente.

Os nascidos do Espírito são transformados em novas criaturas. Seu nascimento não é algo superficial. Não é uma mera reforma moral como não beber e não fumar mais. É uma mudança completa do coração, do caráter e da vontade. Envolve nova natureza, novos hábitos, novos gostos, novos desejos e apetites, novos julgamentos, novas opiniões, nova esperança, novos temores também.

É tempo de acordarmos para o mundo espiritual. É tempo de a igreja aceitar o desafio de ir além das possibilidades da vida biológica. É tempo de dizer: “eu quero acordar para o mundo espiritual do Espírito de Deus, eu quero a vida do Espírito.”


Perguntas para refletir:


1. Você se considera alguém nascido do Espírito?

2. Que evidências há na sua vida hoje que autenticam seu novo nascimento?

3. Você lembra de alguma situação ou lugar em foi conduzido e usado pelo Espírito Santo? Compartilhe


Fazer Download em PDF:

GUIA-003-CONSOLADOR-NASCIDOS-DO-ESPIRITO
.
Download • 335KB

21 visualizações

© 2020 por IBRTHE

  • Preto Ícone Instagram
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone YouTube
  • Preto Ícone Twitter
  • Spotify - Black Circle
  • Preto Ícone Deezer

Todos os direitos reservados.