• ibrthe

Eu sou o bom pastor

Por Isaac Melo

Hoje vamos refletir em mais um EU SOU de Jesus. Será o EU SOU O BOM PASTOR, baseado em João 10.1-15.

Jesus nos traz ensinos sobre relação bastante conhecida de todos daquela época, a relação entre o pastor e as ovelhas. E para entender o bom pastor que Jesus é, precisamos entender essa relação primeiro.

Pastor e ovelhas tinha uma relação bem próxima, porque as ovelhas dependiam muito do seu pastor. As ovelhas são animais sem muito senso de orientação, que se perdem facilmente do seu rebanho. Elas têm dificuldade de encontrar o próprio alimento. E o simples fato de beber água pode ser perigoso, pois elas podem cair em águas correntes, que encherão seu pelo de água, fazendo-as afundar e se afogar.

Além disso, as ovelhas não conseguem se defender, pois não correm rápido, não têm garras nem presas, o que as torna muito vulneráveis aos ataques dos predadores. Por isso, Davi diz no Salmo 23: “a tua vara e o teu cajado me protegem”. Uma clara referência ao instrumento usado pelos pastores para cuidar e proteger seu rebanho.

Em resumo, a ovelha depende do pastor para comer, beber, encontrar o caminho certo e ser protegida dos predadores.

Desde o Velho Testamento, Deus usa essa comparação para demonstrar seu amor e cuidado por seu povo. Foi por isso que Ele disse: “Como pastor, apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio; as que amamentam ele guiará mansamente” (Is 40.11). E também disse: “Suscitarei para elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi é que as apascentará; ele lhes servirá de pastor” (Ez 34.23).

Esse último versículo é uma profecia em referência a Jesus. E no texto de João 10, citado no início, Jesus prova que é o bom pastor prometido por Deus para nós.

Jesus entra pela porta do aprisco, Ele não é como um ladrão ou assaltante, que entra sem autorização e para fazer o mal às ovelhas. O aprisco era como um curral, onde as ovelhas de vários pastores ficavam à noite e, pela manhã, o pastor vinha e entrava pela porta, pois o porteiro sabia que ele era o dono das ovelhas. E as ovelhas também conheciam seu pastor e reconheciam a sua voz.

Interessante que quando um pastor chamava por suas ovelhas somente as dele saiam para segui-lo. As ovelhas que não eram daquele pastor não o seguiam, porque conheciam a voz do seu pastor.

Essas palavras de Jesus nos trazem lições preciosas, pois remetem a uma relação íntima que deve existir entre nós e ele. Assim como as ovelhas reconhecem a voz do pastor e o seguem, nós podemos reconhecer quando o nosso pastor celestial fala conosco. E podemos segui-lo, sabendo que ele nos guiará em segurança.

Você precisa aprender a reconhecer a voz do seu pastor, que é diferente de todas as vozes que você conhece. A voz de Jesus nos traz paz e nos conduz à vida eterna.

Não só isso, o pastor também chamava as suas ovelhas pelo nome. Era comum aos pastores orientais dar nomes às suas ovelhas. Se o pastor comum conhece suas ovelhas, quanto mais somos conhecidos por Deus pelo nome. Não somos mais um entre bilhões de pessoas. Ele nos chama pelo nome. Tamanha importância que temos para ele. Ele nos ama tanto que conhece todos os detalhes da nossa vida e quer participar de cada um deles.

As ovelhas não somente ouviam e reconheciam a voz do seu pastor, mas ele ia à frente e elas o seguiam. Não seguiam a um estranho, mas fugiam dele. Somente seguiam o seu pastor.

Quem tem guiado sua vida hoje? Você só pode dizer “O Senhor é o meu pastor” se ele guiar a sua vida. Se você o obedecer e viver segundo a sua vontade. Tem muitas pessoas dizendo “O Senhor é o meu pastor”, mas se recusando a segui-lo. Querem pastorear a si mesmo, sem se submeter à direção e vontade de Deus. Ou pior, são guiados e influenciados por muitos estranhos.

Nos versículos 10 e 11, Jesus faz uma comparação entre ele e o ladrão, que é uma referência ao diabo. Enquanto o diabo tem o objetivo de roubar, matar e destruir, Jesus tem plano de dar vida a suas ovelhas. Não uma vida comum, mas uma vida abundante. A palavra traduzida como “abundante” na Bíblia significa “excedendo ao número ou tamanho usual”, “extraordinário”, “digno de nota”.

No versículo 28, ele também diz: “Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão”. A vida que Jesus nos dá começa aqui e vai até a eternidade. Ele tem vida abundante para desfrutarmos aqui, pois a vida eterna começa aqui.

Ele também não é como o empregado que trabalha pelo pagamento e não se importa com as ovelhas. Ele é o pastor que protege suas ovelhas daqueles que querem lhes fazer mal.

Jesus deu literalmente a sua vida para nos dar vida. E ele a deu voluntariamente, ninguém o obrigou. Ele fez isso porque nos ama. Foi movido pelo amor.

Mesmo que você não conheça Jesus, mesmo que você não tenha pedido para ele morrer por você, mesmo que você não o ame, ele o ama a esse ponto. Existe alguém que te ama tanto assim?

Em 1 João 4.10 isso fica bem claro:

“Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados.”

Pois o verdadeiro amor não é condicionado a uma retribuição. O verdadeiro amor simplesmente ama.

Perguntas para reflexão:

1. Por que assim como as ovelhas precisamos de um pastor?

2. Qual a diferença entre Jesus e o ladrão? E em relação ao assalariado?

3. Por que Jesus deu a sua vida por nós?


Fazer Download em PDF:

GUIA-EU-SOU-05
.pdf
Download PDF • 270KB

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo